segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Janelas...

Há pessoas tão especiais que tornam tudo o que os rodeia mais especiais ainda. Ao olhar para esta fotografia não vimos mais que uma casa cheia de janelas fechadas e apenas uma janela aberta. Essa janela esconde vidas, mundos, histórias! Nessa janela, moram os meus bisavós, trisavós das Marias…sim as Marias têm Trisavós!  casados há muitos muitos anos e continuam juntos ela já com a memoria esquecida e ele sempre ao lado para lhe relembrar dos bons e menos bons momentos da vida que já passaram. Contam historias aos filhos, netos, bisnetos e se Deus quiser Trisnetas. Já estiveram duas vezes juntos e foi maravilhoso.
Hoje o meu grande e lindo bisavô, trisavô das Marias faz 102 anos, tem as rugas mais lindas e o sorriso mais delicioso que já vi num vehinho, e olhem que eu trabalhando com muitos velhinhos sei bem do que falo. Olho para ele e transmite-me uma paz de 102 anos tranquilos com altos e baixos, com um penso no coração cuja ferida teima em não sarar pela perda de uma filha, da minha linda e teimosa avó que nos pregou uma partida a todos e nos deixou uma saudade… aquela saudade que nos deixa quase sem ar para respirar e de coração apertadinho.
A vida ensinou-me a Amar os idosos como se amam crianças. Nem sempre se consegue sentir isso, nem sempre é fácil lidar com o fim, é sempre mais fácil lidar com o inicio. Nem sempre é fácil olhar para as pessoas que nos acompanharam uma vida inteira e vê-las a fugir, vê-las a perderem-se entre as memorias, a perderem a autonomia…é tão difícil chegar a “velho hoje em dia”, é tão difícil cuidar de quem cuida…e aqui vai um super beijinho para a minha tia que cuida dos meus bisavós todos os dias.  
Olho para o meu pai, para a minha eterna avó e vejo sempre o meu bisavô, tão parecidos, é bom quando deixamos um bocadinho de nós nos outros.
Obrigado bisavô do meu coração pelo teu amor, pela tua alegria quando me vês, e por todas as tuas palavras quando viste as Marias pela primeira vez. Obrigado por teres a família que tens e que me orgulho tanto de pertencer.

Amo-te
Da tua bisneta e beijinhos das trisnetas 





domingo, 20 de setembro de 2015

18 meses!

18 meses! Vividos um dia de cada vez!
18 meses de luta; 18 meses de emoções; 18 meses de dias maus, menos bons, bons, maravilhosos; 18 meses de uma vida a 4; 18 meses de lágrimas e sorrisos, choros e brincadeiras; mas acima de tudo, 18 meses de muito, muito, MUITO AMOR!
Para comemorar, nada melhor que vos mostrar uma sessão que fizemos com  a Isabel Saldanha, uma fotógrafa, uma grande amiga e uma grande mulher que muito admiramos, pela pessoa que é, pela simplicidade como consegue descrever por palavras aquilo que sente, pela forma como vê e vive a vida, e pela forma como consegue eternizar vidas, transformando-as em momentos captados através das lentes da sua máquina.
Esperamos que gostem!


 

 
A nossa querida amiga e talentosa Isabel Saldanha



O Blog de Nós e as Marias também está no FACEBOOK e INSTAGRAM  



sábado, 12 de setembro de 2015

As Marias já tem pranchinhas!

Filhas de bodyboarder tinham de ter umas pranchas feitas à medida delas, e não podiam ser mais bonitas :)
A refresh boards fez um trabalho espectacular. Por onde passamos perguntam sempre onde se compram estas pranchas lindas, por isso, aqui fica o site e os contactos da marca:

Site: http://www.refreshboards.com/

Página de Facebook: https://www.facebook.com/refresh.boards?fref=ts 



No Ecorkhotel, Évora Suites & SPA        



Em breve mais fotos deste fim de semana :)


O Blog de Nós e as Marias também está no FACEBOOK e INSTAGRAM  

 

 

terça-feira, 8 de setembro de 2015

Estamos juntos pela Natalidade!®



Feliz Dia da Natalidade :)


http://barrigasdeamor.pt/



Resultado do Give-Away Nós e as Marias e a MAPED...Regresso às Aulas!


Terminou o  Give-Away Nós e as Marias e a MAPED...Regresso às Aulas! E o Vencedor é:

Raquel Ferreira

Com a frase:

"Neste novo regresso às aulas o material irei comprar e como é lógico Maped é o que está a dar ;)"


Muitos Parabénssssssssss! Vamos entrar em contacto consigo. 






A todos os que participaram um grande agradecimento por nossa parte e pela Maped. 

segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Dicas para pais de bebés Prematuros!

Ninguém prepara um pai ou uma mãe para serem pais antes do tempo.
Por vezes, ao longo da nossa vida, vamos ouvindo falar de algumas histórias de pessoas conhecidas que passaram por esse acontecimento, mas a realidade é que esse ainda é um tema pouco falado, pouco divulgado, e para o qual muito pouca gente está desperta. Numa gravidez, quase ninguém pensa na realidade de um parto prematuro, e por vezes este tema não recebe a devida importância.

O mundo da prematuridade é talvez das aventuras mais assustadoras por que os pais podem passar, independentemente de tudo correr bem ou menos bem.

Para quem não sabe, um bebé prematuro é um bebé que nasce antes das 37 semanas, sendo que um grande prematuro é quando nasce antes das 28 semanas. A diferença do bebé idealizado para o bebé prematuro real é muito, muito grande! Uma fase que era suposto ser preenchida por sonhos e planos, com um bebé lindo e perfeito, transforma-se de repente numa fase de medo, angústia e insegurança!

É um momento de grande stress, uma autêntica montanha russa de sentimentos. Provavelmente uma das piores experiências e uma das mais difíceis de enfrentar.

É por isso muito importante os pais estarem juntos e unidos, enquanto casal, e enquanto pais de um bebe tão pequeno mas com um coração, uma força e uma vontade de viver enormes.



Nesta fase, é muito importante que enquanto casal:

- Se ajudem diariamente um ao outro;

- Lidem com os sentimentos;

- Chorem, partilhem os vossos medos, e confiem nos profissionais de saúde que cuidam do vosso filho;

- Estabeleçam uma rotina diária, mas com tempo para descansarem, para poderem estar bem junto do bebe;

- Questionem e tirem duvidas com os profissionais de saúde;

- Caso sintam necessidade, explorem as vossas convicções religiosas  e espirituais;

- Procurem ajuda em grupos de apoio/pais ou associação portuguesa de apoio ao bebe prematuro;

- Criem laços afectivos com o vosso bebé! Por vezes pode demorar algum tempo, mas é muito importante no desenvolvimento do bebé. Basta muitas vezes a presença, o toque, o cantar e contar historias. É fundamental para uma criança sentir-se amada! Os bebés prematuros não são diferentes, e a presença, o cheiro, toque e a voz dos pais, e todo o Amor que lhes possam transmitir, é muito, muito importante!

- Celebrem sempre cada vitoria (e um aumento de peso, um xixi, um cocó, um sorriso, tudo isso são vitórias!).
        
 Os bebés prematuros são pequenos no tamanho mas enormes no coração, uns super guerreiros!



Artigo escrito originalmente para Up To Lisbon Kids


sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Mas quando é que vão aprender a comer sozinhas????

Não tem sido nada fácil as traquinas aprenderem a comer sozinhas, mas temos de ter paciência cada criança tem o seu tempo. 

Hoje fomos a consulta de desenvolvimento e felizmente estão muito bem. Quando saímos da consulta fomos almoçar no Ikea e que aventura...sujaram tudo, os pratos voaram, roupa toda suja (os babetes ficaram esquecidos em casa) e toda a gente com "ar de pena de nós" que estávamos com ar de pânico ... Acho que temos de continuar a fazer as refeições em casa por enquanto.
No final se vissem a cara da senhora das limpezas quando viu a nossa mesa!
Aqui ficam as imagens :)




O lanche em casa ainda foi pior...





quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Outra vez a roupa...

Nem com os legos a "obsessão" pela roupa acabou. Tinha acabado de dobrar a roupinha no balde enquanto elas brincavam super entusiasmadas com os legos novos. Fui a cozinha aquecer  o jantar, juro que não demorei mais de 5 minutos ...quando cheguei era isto:(

Vamos lá arrumar tudo outra vez😟





terça-feira, 1 de setembro de 2015

De volta ao Trabalho!

Os primeiros meses de um filho com os pais são de um enamoramento constante, é a criação do ninho, estabelecimento de laços, de sentimentos, de um amor que vai crescendo dia apos dia. Para a mãe são 4 ou 5 meses de puro namoro diário com o seu filho. Mas estes meses passam a voar, e de repente, estamos de volta ao trabalho. Infelizmente são poucos meses que podemos estar a usufruir do maior amor que a vida nos dá a tempo inteiro…injusto não é?
Deixar o bebé em casa, ou na creche, na ama ou com os avós, seja qual for a situação, deixar um filho e ter de ir trabalhar custa sempre.
No meu caso, estive sem as minhas filhas 109 dias, pois estiveram internadas nos cuidados intensivos neonatais a sobreviver à grande aventura que é a prematuridade e a delas foi de 25 semanas com pouco mais de 600gr. Durante esse tempo estive de baixa por assistência à família, posso dizer que foram os 4 meses mais longos da minha vida. O tempo parece que dói a passar, ia para casa com o maior vazio do mundo, mas quando elas foram para casa a felicidade chegou. Estive de licença 6 meses e mais um de férias. Depois ainda consegui pôr licença de maternidade prolongada por mais três meses. Ainda assim soube a pouco! Esses sim foram os meses mais felizes, mas mais intensos e trabalhosos também.
Estive bastante tempo com elas em casa, foram dias e dias só para elas. E confesso que no final já precisava de sair, de ir trabalhar. Foram muitos meses fechadas em casa, dado que, pela prematuridade, não podíamos ter muitas visitas nem sair muito de casa. Trabalhar não era assim tão assustador mas e ao mesmo tempo sentia que ia fazer-me bem. Mas… um mês antes de voltar ao trabalho a ansiedade chegou, não me conseguia imaginar a sair de casa e estar sem elas. Passava o dia a imaginar como iria ser, e a fazer questões a mim própria, será que vão sentir a minha falta? Será que eu vou conseguir? Será que vou passar o dia a olhar para o telemóvel, ou ligar de 10 em 10 minutos para saber se estão bem? Como é que vou ter energia para trabalhar sem dormir “quase nada” (elas sempre deram más noites), como vou gerir a casa, o trabalho e cuidar delas???... Tantas e tantas questões que me passavam pela cabeça.
O dia chegou, acordei mais cedo que o normal, tomei o pequeno almoço, fiz questão de lhes dar os leitinhos e de lhes dar um grande beijinho e dizer “a mamã vai trabalhar e daqui a pouco  chega a casa para brincar muito com vocês”. Sorri para elas e la fui eu, fecho a porta e cai a primeira lagrima…ia com o coração nas mãos mas feliz por regressar ao trabalho. Apenas liguei uma vez, e quando cheguei a casa vinha ainda com mais vontade de brincar com elas. Posso ter menos tempo, mas é tempo de qualidade só para elas e para elas com muita brincadeira, muitos abraços, sorrisos, passeios, muitos sorrisos e muito amor. O tempo é uma das melhores prendas que podemos dar a um filho.
Já passaram 3 meses desde que regressei ao trabalho, e não posso negar, tenho muitas saudades de passar os dias inteiros com elas, tenho saudades desse tempo maravilhoso. Durmo menos, tenho menos tempo para mim, ando sempre a correr, mas o tempo que estou com elas e com o meu marido é de qualidade! Mas sim, é muito cansativo, e o cansaço é diário. Faço questão de quando chego a casa, esse tempo ser para brincar com elas até a hora do jantar, depois quando adormecem (nem sempre é fácil adormece-las) é quando eu e o meu marido tentamos fazer o jantar e almoço para o outro dia, arrumar a casa e tentar dormir (se elas deixarem).
É difícil conciliar o trabalho, casa, os filhos, marido e ainda ter tempo para nós, mas acabamos por conseguir sempre, as mulheres são sem dúvida seres com super poderes, então quando viram mães são capazes de tudo, porque amam mais e quando há amor tudo se faz e tudo se consegue.

Dicas para quem esta prestes a terminar a licença de maternidade e regressar ao trabalho:

- Não ligar mais do que 1 ou 2 vezes para quem esta a cuidar do seu filho;
- Quando estiver muito cansada lembre-se que vai chegar o fim-de-semana;
- Divida as tarefas com o seu marido;
- Rotinas são importantes, organização de tarefas, e refeições com antecedência são fundamentais;
- Quando esta no trabalho envolva-se no que esta a fazer;
- Quando regressa do trabalho dedique-se a 95% aos seus filhos e marido, os outros 5% são para se dedicar a si própria, para ter tempo para si!
- As saudades são normais, mas tente ver isso como uma coisa boa;
- Lembre-se que quando terminar o trabalho vai encontrar o melhor sorriso e abraço do mundo!!!



Artigo escrito originalmente para Up To Lisbon Kids